Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SINTSS MS: GOVERNADOR DO MS QUER CENSURAR JORNAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS

SINTSS MS: governador do MS quer censurar jornal dos servidores públicos

11/09/2018

Coligação de Azambuja diz que jornal com mais de 90 edições é apócrifo. O que incomodou o tucano foi a denúncia, também divulgada na imprensa nacional, de que recebeu R$70 milhões de propina da JBS

Escrito por: SINTSS MS

 

Capa do Jornal, que foi alvo de ataque

 

A coligação Avançar com Responsabilidade, que forma a aliança em torno do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, do PSDB, candidato à reeleição, entrou com uma ação na Justiça contra o jornal Servidorpúblico – Jornal do Funcionalismo de Mato Grosso do Sul. 

 

Segundo a coligação formada pelos partidos PSDB, PSD, PMN, DEM, PATRI, PMB, PP, PROS, PSB, PTB, Solidariedade e PPS, o jornal criado pelo  Fórum de Servidores do Estado, formado por várias entidades da categoria, para se contrapor a mídia local que costuma proteger o governador, é apócrifo.

 

O jornal que a coligação de Azambuja chama de apócrifo tem mais 90 edições impressas e online com informações que contribuem para a luta da categoria por melhores condições de trabalho, de renda e de vida e também pela melhoria do atendimento prestado à população de Mato Grosso do Sul. 

 

A matéria que eles pediram para Justiça tirar do ar intitulada “Dono da JBS reafirma repasse de R$ 70 milhões em propina a Reinaldo Azambuja em dois anos” está na edição de número 90, de 13 de agosto deste ano, e refere-se a uma denúncia contra o ex-governador amplamente divulgada na mídia nacional, como o G-1.

 

“A verdade é que eles controlam a mídia comercial local e não queriam de jeito nenhum que o sul-mato-grossense tivesse acesso às denúncias de corrupção contra o tucano”, diz Alexandre Costa, secretário de Políticas Sociais da CUT/MS.

 

É um ataque à liberdade de expressão, típico de políticos autoritários, como os tucanos e isso não vamos permitir- Alexandre Costa

 

Nesta segunda-feira (27), o Fórum de Servidores do Estado do Mato Grosso do Sul divulgou nota repudiando a atitude da coligação de Azambuja.

Segundo a nota, a coligação do ex-governador quer "cercear a liberdade de imprensa do veículo de comunicação impresso Servidor Público MS".

 

Na nota, o Fórum dos Servidores ressalta, ainda que "não vai se calar, e não vai permitir ataques infundados, bem como não vai admitir perseguições a lideranças sindicais e muito menos aceitar calado a tentativa de CENSURA contra a Liberdade de Imprensa que assegura o direito a qualquer profissional da área de comunicação de publicar informações e notícias informando a verdade dos fatos a sociedade brasileira, sem a mínima interferência do estado".

 

Confira a íntegra da nota:

 

O Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Sul repudia com veemência o ataque explícito da Coligação “Avançar com Responsabilidade” (PSDB/ PSD/ PMN/ DEM/ PATRI/ PMB/ PP/ PROS/ PSB/ PTB/ Solidariedade/ PPS), encabeçada pelo candidato ao governo do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB), na tentativa de cercear a liberdade de imprensa do veículo de comunicação impresso Servidor Público MS – Jornal do Funcionalismo de Mato Grosso do Sul, por divulgar notícia de conhecimento nacional.

 

A denúncia de corrupção, com o título “Dono da JBS diz que repassou R$ 70 milhões de propina para Reinaldo Azambuja em 2 anos”, compõem a edição 90 do jornal, do dia 13 de agosto deste ano. Sendo que o mesmo conteúdo foi publicado no jornal Midiamax, em 06/08/2018, com destaque nos jornais de todo país.

 

Erroneamente, a coligação de Azambuja alega na Representação nº 0600934-37.2018.6.12.0000 que jornal seria apócrifo, ou seja, sem apresentar qualquer identificação da fonte originária da qual é veiculado, tratando-se de material anônimo. E pede-se a remoção do conteúdo sob pena de multa de R$ 5.000,00 a R$ 30.000,00.

 

Com tamanha injustiça, o próprio juiz auxiliar Alexandre Branco Pucci indefere a tutela de urgência solicitada pela coligação e evidencia que análise prévia da página de internet indica que se trata de publicação virtual, periódica, editada desde abril de 2017, cujo expediente do jornal apresenta como jornalista responsável Cláudio Souza - DRT 411 MS, que disponibiliza na página telefone e endereço para contato.

 

Ou seja, quem está errado? O Jornal do Servidor em divulgar verdades sobre o Governo Reinaldo Azambuja ou a coligação que tenta calar a imprensa que dá voz aos servidores públicos e informa as lutas e mobilizações por direitos do funcionalismo público sul-mato-grossense?

 

Por fim, o Fórum dos Servidores ressalta que não vai se calar, e não vai permitir ataques infundados, bem como não vai admitir perseguições a lideranças sindicais e muito menos aceitar calado a tentativa de CENSURA contra a Liberdade de Imprensa que assegura o direito a qualquer profissional da área de comunicação de publicar informações e notícias informando a verdade dos fatos a sociedade brasileira, sem a mínima interferência do estado.

 

 

 

21 de agosto de 2018

Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Su

 

 

 

Marize Muniz - CUT Nacional

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060