Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > VITÓRIA: RELATOR APROVA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO

Vitória: relator aprova redução da jornada de trabalho

26/06/2008

Escrito por: Portal da CTB

Vitória: relator aprova redução da jornada de trabalho

A proposta de redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais
recebeu parecer favorável do relator da matéria, deputado Vicentinho
(PT-SP). Ele apresentou na semana passada à Comissão de Trabalho da Câmara
dos Deputados um substitutivo em favor do projeto. O relatório ainda não tem
data marcada para ser votado na Comissão. O substitutivo de Vicentinho ao PL
4.653/94, do ex-deputado e atual senador Paulo Paim (PT-RS), engloba os 24
projetos que versam sobre o assunto.

A proposta de redução da jornada de trabalho é uma reivindicação histórica
do movimento sindical. No início do mês foi entregue ao presidente da
Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), um abaixo-assinado com 1,5 milhão de
assinaturas reivindicando a medida. Inúmeras mobilizações em todo país
também.

Bandeira unitária

Os dirigentes das principais centrais sindicais do país são unânimes na
avaliação de que o Brasil atravessa um momento que propicia a redução da
jornada máxima de trabalho de 44 para 40 horas semanais.

Para justificar sua posição favorável á proposta, o deputado petista
destacou que "a utilização excessiva do trabalho extraordinário, além de
causar evidentes prejuízos à sociedade, ante o aumento do desemprego, causa
também graves danos à saúde do trabalhador".

Ele cita trechos da publicação "Proteção Jurídica à saúde do trabalhador" em
que é relatado que "um processo prolongado de fadiga induz à instalação da
fadiga crônica, que não cede nem mesmo com o repouso diário. Esse quadro de
fadiga patológica compromete o sistema imunológico, deixando o trabalhador
muito mais vulnerável às doenças, além de produzir insatisfação com o
serviço, absenteísmo, baixa produtividade e maior número de acidentes do
trabalho".

Restrição à hora extra


Em seu parecer, Vicentinho também lembra que estudos aprofundados dos
fisiologistas, ergonomistas, psicólogos, médicos do trabalho e outros têm
servido para respaldar os fundamentos científicos da tendência mundial de
redução da jornada de trabalho, acrescentando que "não adianta limitar a
duração da jornada, sem controlar, com rigor, o trabalho extraordinário".

Ele enfatiza a necessidade de "restringir ao máximo a possibilidade de
utilização do trabalho extraordinário. A simples oneração do valor da hora
extra não tem sido suficiente para desestimular a sua prática", destacou.

Para Vicentinho, são adequadas as mudanças propostas no projeto que aumenta
o adicional de hora extra em relação ao trabalho perigoso e insalubre. Ele
sugere um avanço na proposta original, garantindo adicional de 150% para
ambas situações, e não 100% e 150% para o trabalho perigoso e insalubre,
respectivamente. Ele alega os sérios danos potenciais que o trabalho
extraordinário em condições perigosas ou insalubres pode trazer aos
trabalhadores.

O relatório favorável de Vicentinho tem grande importância, mas não
significa o fim da batalha no Congresso Nacional. A luta maior ocorrerá em
plenário. Nesta quarta-feira (25) representantes das centrais se reunirão em
São Paulo, com a assessoria do Dieese, para definir os novos passos da
campanha nacional pela redução da jornada sem redução de salários.
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br