Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > NOTA DE REPÚDIO SOBRE AS ACUSAÇÕES DE SABOTAGEM DO SECRETÁRIO DE TRANSPORTES CLODOALDO PELISSIONI

Nota de repúdio sobre as acusações de sabotagem do secretário de Transportes Clodoaldo Pelissioni

25/04/2018

Pelissioni chegou a insinuar que os metroviários poderiam ter cometido ato de sabotagem nas linhas a Linha 1 - Azul e a Linha 2 – Verde do Metrô paulista neste 24 de abril

Escrito por: Sindicato dos Metroviários de São Paulo

 

Nota de repúdio sobre as acusações de sabotagem do secretário de

Transportes Clodoaldo Pelissioni

 

Na manhã deste dia 24 de abril, em que se completou 50 anos do Metrô de São Paulo, uma falha paralisou por horas a Linha 1 - Azul e afetou a Linha 2 – Verde. Segundo declarações da empresa houve falta de energia elétrica.

 

O Sindicato dos Metroviários apurou junto aos funcionários que houve falha no sistema do SPAP (mecanismo de segurança para proteção dos usuários nas plataformas) que atuou sozinho em dois locais quase ao mesmo tempo. Foi verificado que os lacres dos pontos de atuação do sistema de emergência nas plataformas não foram violados, ou seja, não ocorreu atuação por interferência humana. O sistema só foi normalizado após o reset no comando em todas as estações do trecho, o que demonstra falha do sistema. Ainda apuramos que essa falha já ocorreu em outra ocasião, o que é de conhecimento da empresa.

 

Aproveitamos a oportunidade para repudiar as declarações irresponsáveis do secretário de Transportes (Clodoaldo Pelissioni) que chegou a insinuar que os metroviários poderiam ter cometido ato de sabotagem.

 

A verdade é que apesar de toda sabotagem que os consecutivos governos do PSDB fizeram no governo de São Paulo, em especial no Metrô, intensificando as políticas de terceirização, privatização e vários esquemas de corrupção, os metroviários é que são os verdadeiros responsáveis pelo transporte de mais de 4 milhões de usuários diariamente, mesmo enfrentando todo o sucateamento e precarização impostos pelo Governo do Estado e Direção do Metrô.

 

O Sindicato vem denunciando a falta de investimentos no transporte público. Atualmente faltam peças para reposição, o quadro de funcionários é reduzido e não há prioridade na política de prevenção para evitar e diminuir o número de falhas. A privatização e a terceirização afetam a qualidade dos serviços prestados.

 

Por fim, os consecutivos governos do PSDB têm provocado o desmonte da empresa pública, preferindo beneficiar empresas privadas envolvidas em grandes esquemas de corrupção que financiam suas campanhas.

 

 

Sindicato dos Metroviários de São Paulo

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060