Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > CNTS/CUT, SINTFESP E FENASPS NA DEFESA DOS DIREITOS DA CATEGORIA, TAMBÉM DURANTE PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

CNTS/CUT, Sintfesp e FENASPS na defesa dos direitos da categoria, também durante pandemia do coronavírus

07/05/2020

Também com o apoio do Sintfesp-Go/To e de todos os sindicatos filiados, a CNTSS/CUT e a Fenasps requereram ainda ao governo a revogação imediata da Portaria 422/2020

Escrito por: Sintfesp GO

 

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social – CNTSS/CUT e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social – Fenasps e o Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência Social nos Estados de Goiás e Tocantins – Sintfesp-Go/To têm mantido forte suas atuações na defesa dos direitos dos servidores de suas bases durante a pandemia do coronavírus. Como filiado, o Sintfesp-Go/To apóia e orienta a categoria a seguir as deliberações de nossas entidades nacionais.

 

Com o objetivo de evitar que servidores sejam prejudicados por possível não cumprimento de metas, em função de dificuldades causadas pela pandemia, CNTSS/CUT e Fenasps solicitaram, ao INSS, ao Ministério da Saúde e à Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, a suspensão do ciclo de avaliação de desempenho durante o período de emergência da pandemia da COVID 19 e que as mesmas sejam rediscutidas com as entidades após esse período. Nesse sentido, orientam a categoria a NÃO ASSINAR NENHUM TERMO DE PACTUAÇÃO.

 

CNTSS/CUT e Fenasps têm alertado o governo de que no Brasil quase mil profissionais de saúde já foram afastados devido ao contágio pela Covid-19. Grande parte da categoria já tem 60 anos ou mais, compondo o grupo de risco da pandemia.

 

Também com o apoio do Sintfesp-Go/To e de todos os sindicatos filiados, a CNTSS/CUT  e a Fenasps requereram ainda ao governo a revogação imediata da Portaria 422/2020, que “pune o servidor pela falta de infraestrutura e condições de trabalho o obrigando a assinar vários termos, como o de pactuação para cumprimento de metas de 90 pontos, por produto e pactuação para acompanhamento.

 

Os gestores do INSS, segundo a Fenasps, desconsideram totalmente a situação dos pais e mães que necessitam dispor de cuidados com seus filhos, além de impor o cumprimento de metas até para os servidores infectados por coronavírus.

 

Nossa representação nacional também destaca em ofícios encaminhados ao governo o caso de profissionais cuja atribuições legais são executadas predominantemente de forma presencial, o que torna “impossível a imposição de metas, considerando que esses profissionais nunca desenvolveram trabalho remoto, como por exemplo: Psicólogos, Fisioterapeutas, Terapeutas, Engenheiros e Assistentes Sociais”, destaca a Fenasps.

 

Solicitam ainda a revogação imediata da portaria 422/2020, que estabelece, por exemplo, a possibilidade de redução salarial para os trabalhadores e trabalhadoras do INSS, “além de impor que a categoria pague os custos com infraestrutura (energia elétrica, internet e equipamentos) e sem conhecer a realidade das diversas áreas do INSS e condições concretas dos (as) servidores impõem metas de produtividade. Os (as) servidores não aceitarão nenhum correr o risco de pagar para trabalhar e terem uma redução nos seus salários”, afirma a Fenasps.
 

MP 905

 

Na defesa dos direitos não apenas de servidores públicos que compõem a sua base de representação, a CNTSS/CUT e a Fenasps também atuam na defesa dos direitos da classe trabalhadora da iniciativa privada, por entender que a solidariedade na luta é fundamental. Por isso, com o apoio do Sintfesp-Go/To, repudiam a aprovação, nesta semana, pela Câmara dos Deputados, da Medida Provisória 905 e denuncia as demais MPs que atacam os trabalhadores. A MP 905 – conhecida como MP do Contrato Verde Amarela – retira direitos, flexibiliza formas de contratação, achata salários e renda e, na prática, protege apenas e exclusivamente os interesses do empresariado, fragilizando ainda mais os empregados. “A MP é considerada como uma nova etapa da Reforma Trabalhista aprovada em 2017, ainda no governo do ilegítimo Michel Temer, por aprofundar ainda mais a precarização nas relações e condições de trabalho”, ressalta a CNTSS/CUT.

 

SINTFESP, na luta e sempre à disposição da categoria

 

Durante a pandemia do coronavírus, em respeito aos preceitos científicos e às determinações das autoridades sanitárias do Brasil e da Organização Mundial de Saúde (OMS), e visando proteger a categoria da COVID-19, a sede do Sintfesp-Go/To está fechada. Porém está mantido 100% do atendimento aos filiados e filiadas, de modo remoto, por meio de telefones, rede social (Facebook) e aplicativo de mensagens (WhatsApp).

Portanto, se você, filiado ou filiada do Ministério da Saúde e/ou do INSS, tem qualquer demanda ou requer a apoio do Sintfesp, é só nos acionar. Seguem mais uma vez os contatos de nossa diretoria e assessoria.

 

EVITE A COVID-19

 

  • lave as mãos com água e sabão frequentemente ou use álcool gel;
  • evite tocar olhos, nariz e boca;
  • evite aglomerações;
  • cubra a boca e nariz ao tossir/espirrar;
  • limpe e desinfete objetos tocados com frequência;
  • caso apresente os sintomas, principalmente, falta de ar, procure assistência médica.

 

#FiqueEmCasa

 


Cláudio Marques – DRT 1534

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br