Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SINDSAÚDE GO: ORGANIZAÇÕES SOCIAIS NA SAÚDE SÃO UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA

Sindsaúde GO: Organizações Sociais na saúde são uma tragédia anunciada

03/10/2018

Montantes destinados às Organizações Sociais para manter os hospitais púbicos ultrapassam R$ 1 bilhão anualmente

Escrito por: Sindsaúde GO

 

Com o discurso de que as Organizações Sociais (OSs) iriam melhorar e ampliar os atendimentos hospitalares para a população, o governo de Goiás forjou em 2011 – à custa do sucateamento do patrimônio público – a necessidade de terceirizar os principais hospitais públicos do estado. Hoje, vivenciamos uma crise grave nos hospitais terceirizados que já estava anunciada.

 

A luta do Sindsaúde GO contra terceirização não é de agora. Em 2011, quando o governo anunciou a possibilidade de adotar o modelo de gestão por Organizações Sociais na Saúde, o Sindicato realizou uma série de audiências públicas e assembleias para alertar a população e os servidores sobre os riscos de se adotar na saúde pública uma lógica de mercado.

 

Ao entregar os maiores hospitais de Goiás para a iniciativa privada, que debaixo da capa de entidades sem fins lucrativos têm feito mudanças que, de um lado celebraram contratos milionários com o Estado, de outro, diminuíram os atendimentos, selecionando os pacientes que entram nesses hospitais. Pacientes que custam caro não recebem o atendimento que precisam.

 

Os montantes destinados às Organizações Sociais para manter os hospitais púbicos ultrapassam R$ 1 bilhão anualmente, segundo dados apurados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

 

Os gastos com as OSs continuam crescendo. Houve contrato que aumentou 300%. No caso da Gerir – contratada pelo Estado para administrar o Hugo, o valor contratual global saltou de R$ 94 milhões em 2012 para R$ 269 milhões em 2018. O acréscimo foi de 185%.

 

Além da população que paga o preço quando o Governo e as Organizações Sociais não se entendem, os servidores também saem prejudicados.

 

Vivemos tempos de retrocessos no que tange direitos trabalhistas e na forma como são administrados os serviços públicos. Como resultado desse modelo de gestão, temos a perda na qualidade do atendimento aos usuários, pacientes morrendo nas filas a espera de cuidados, servidores concursados sofrendo assédio moral, perseguição, falta de insumos e de condições de trabalho.

 

A terceirização liquidou direitos, adoecendo trabalhador@s e ocultando toda e qualquer informação administrativa e financeira que essas “empresas” realizam no setor público.

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br