Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SINDSPREV-PE NO 1º DE MAIO: COMEMORAÇÃO E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA EM RECIFE E CURITIBA

Sindsprev-PE no 1º de Maio: Comemoração e participação política em Recife e Curitiba

14/05/2018

Ocorreram manifestações também em cidades do Sertão, Agreste e Zona da Mata Norte; cerca de 50 sindicalistas da CUT viajaram para Curitiba, PR, para participar do ato em defesa de Lula

Escrito por: Sindsprev-PE

 

 

Na terça, 1º de maio, no Centro de Formação e Lazer (CFL), mais de mil filiados do Sindsprev-PE e familiares participaram da animada programação, em comemoração ao Dia do Trabalhador e Trabalhadora, com música ao vivo, dança, recreação, hidroginástica e torneios.

 

Além da confraternização e interação da categoria, o coordenador geral do Sindsprev, Luiz Eustáquio, destacou também o significado político do Dia do Trabalhador, com a realização de manifestações em diversas cidades do Brasil e do mundo. Representações do sindicato participaram das mobilizações no Recife e em Curitiba.

 

“Continuamos lutando pelos nossos direitos e pela democracia no Brasil, que estão sendo destruídos pelas quadrilhas que deram o golpe em abril de 2016.  Com a desculpa de reduzir gastos públicos, congelaram nossos salários; cortaram as verbas da saúde, educação e outros serviços públicos. Fomos golpeados também pela terceirização ampla, reforma trabalhista e ainda mais, pela reforma da Previdência, que poderá ser votada no Congresso Nacional após as eleições de outubro. Tudo para beneficiar os setores financeiros e empresas privadas.”

 

Luiz Eustáquio denunciou que “A vida real não é o país da fantasia mostrado pela Rede Globo e toda a mídia conservadora. A vida real é a que você vê nos hospitais abandonados por um governo que quer destruir o SUS e a saúde pública. A vida real é aquela sentida na pele das pessoas que passam mais de seis meses para obter sua pensão ou outros benefícios previdenciários. A vida real é vê seus familiares, amigos (as) sem emprego, sem perspectiva de dias melhores”.

 

Por isso, milhares e milhares de pessoas foram às ruas neste 1º de Maio para defender direitos roubados pelo governo Temer e por todos seus apoiadores, políticos e empresários. Mais do que isso, estamos lutando para salvar a nossa frágil democracia. Por isso, defendemos também “Lula Livre”, porque ele é símbolo dos direitos sociais que conquistamos com muita luta durante décadas.

 

No Recife ato político " Lula Livre " no Dia do Trabalhador 

 

Cinco mil pessoas participaram do ato político deste 1º de Maio no Recife. A manifestação das centrais sindicais, movimentos sociais e populares contou também com forró improvisado e bonecos gigantes de Lula e Dom Hélder.


Os manifestantes se concentraram na Praça do Derby, a partir das 9h, com faixas e cartazes em defesa do ex-presidente Lula, animado por apresentações musicais em um trio elétrico. Ao meio-dia, saíram em caminhada pela Avenida Conde da Boa Vista até o com a Rua Gervásio Pires.
  

Segundo o presidente da CUT-PE, Carlos Veras, a manifestação busca defender o ex-presidente e lutar contra reformas. “Estamos aqui contra a reforma previdenciária e pela revogação da reforma trabalhista. Por nenhum direito a menos, pela democracia, pelo estado democrático de direito”, enfatizou.

 

Ocorreram manifestações também em cidades do Sertão, Agreste e Zona da Mata Norte. Além disso, cerca de 50 sindicalistas da CUT viajaram para Curitiba, no Paraná, para participar do grande ato público em defesa de Lula que aconteceu no final da tarde da terça-feira (01/05).

 

40 mil trabalhadores participaram do 1º de Maio histórico de Curitiba 

 

A luta em defesa da liberdade imediata do ex-presidente Lula, mantido há 25 dias como preso político na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, unificou a classe trabalhadora brasileira. E a maior expressão dessa unidade foi vivida na tarde desta terça-feira, no ato unificado de 1º de Maio, realizado na Praça Santos Andrade, região central da capital paranaense, onde mais de 40 mil trabalhadores e trabalhadoras se aglomeraram para pedir a liberdade de Lula. Além das lideranças sindicais, estiveram presentes senadores, deputados federais e ex-ministros.

 

“É um dia histórico”, repetiam as lideranças sindicais e políticas que se revezavam no microfone durante o dia todo, ressaltando que na praça havia pessoas vindas dos mais diversos cantos do Brasil, além da participação de lideranças e trabalhadores do mundo todo.

 

A liberdade de Lula e a retomada dos direitos da classe trabalhadora, que foram roubados pelo atual governo golpista e ilegítimo de Michel Temer (MDB-SP), são bandeiras de luta que unificam todos os trabalhadores e trabalhadoras de Norte a Sul, Leste a Oeste e Nordeste do país, disse o presidente da CUT, Vagner Freitas.

 

Solidariedade internacional

 

O presidente da CUT também destacou em sua fala o apoio internacional. Segundo Vagner, “Lula livre”, a palavra de ordem do dia no Brasil, tomou proporções internacionais e esteve presente nos atos do Dia Internacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Argentina, do Uruguai, do México, de Cuba, da Espanha, Suíça, França e em diversos países do mundo. “Todos sabem que Lula é inocente e a defesa do ex-presidente é feita dentro e fora do país.”

 

Os representantes sindicais da CTA da Argentina e do Sindicato UWA, dos Estados Unidos, presentes em Curitiba, mandaram um recado à classe trabalhadora brasileira: “o Lula hoje não é brasileiro, é de toda América, de todo o mundo, porque nós todos somos Lula hoje”

 

Neste 1º de Maio da resistência. As lembranças das conquistas históricas proporcionadas por seu governo foram reforçadas em diversas falas. Com Lula, lembravam as lideranças de movimentos ligados às frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, milhões de brasileiros historicamente excluídos puderam sair da condição de fome e miséria, passaram a sonhar com a casa própria, com o acesso à universidade e começaram a sentir o que é o direito de andar de cabeça erguida, com dignidade.

 

Ao longo do dia, diversos artistas passaram pelo palco do 1º de Maio. O raper Flávio Renegado, a sambista Beth Carvalho, que cantou o samba que compôs em homenagem ao Lula, e a cantora Ana Cañas, além de celebrarem o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora com suas rimas e canções, também pediram por Lula Livre e condenaram a prisão política daquele que consideram um dos maiores líderes populares do país. Nesse momento, o público presente, que já havia feito do Lula Livre palavra de ordem, foi ao delírio.

 


(Com informações da CUT Nacional e CUT-PE)



 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060